| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • You already know Dokkio is an AI-powered assistant to organize & manage your digital files & messages. Very soon, Dokkio will support Outlook as well as One Drive. Check it out today!

View
 

Debates de teses

Page history last edited by Neusa 13 years, 10 months ago

Debatendo Teses

(Sobre o Uso de Mídias e Tecnologias Digitais nos Espaços Escolares)

 

 

Argumentador 

NeusaTeresinha Dias Teixeira

Revisor 1 

Mara Rosane Noble Tavares

Revisor 2 

Paulo Assis Costa Medeiros 

 

 

 

 

Teses

Posicionamento Inicial

(concordo/discordo/não sei decidir)

 

Argumentação

(obrigatório para todos posicionamentos)

Comentários

(análise dos revisores)

Réplica

(contra-argumentação do autor)

 

Posicionamento revisado

(modificação ou fortalecimento do inicial)

 

1 - Os humanos percebem o mundo de diferentes formas, usando diferente sentidos. A linguagem textual não é suficiente para exprimir todas elas. Portanto, explorar o uso de diferentes mídias, facilita a descrição de nossas percepções. 

Concordo-

Ao utilizarmos a linguagem textual não conseguiremos atingir pessoas que não compreendem a nossa lingua ou que não tenham acesso à tradução.Por conseguinte aqueles que não são alfabetizados também. Além disso através do texto não teremos alcance dos cegos e mesmo que o texto seja transcrito em Braille, haverá aqueles que ainda não sabem fazer esta leitura.

Quando citei no meu quadro o trecho de Otávio Paz, que fala das palavras, não observei pelo ponto de vista que a colega aponta. Argumentação consistente quanto a atingir pessoas que falam outro idioma ou ainda são analfabetas. Entretanto, a imagética não poderia ser usada com cegos, tão pouco mídias sonoras com os surdos. Com essas questões, vem à tona, os critérios de escolha: Que mídias são mais adequadas para atingir cada segmento?

Nada a contra-argumentar.

Continuo com o meu posicionamento inicial, sentindo-me mais segura com o posicionamentos dos colegas.

Extremamente bem construída a argumentação da colega Neusa Teixeira. Podemos concluir que no caso das mídias, assim como em outros contextos, faz-se necessário conhecer o público com o qual trabalharemos para determinar quais recursos deverão - e poderão - ser utilizados. (Paulo) 

Nada a contra-argumentar.

2 – A exposição dos alunos, de forma continuada e sem restrição, a um ambiente informatizado, é uma boa maneira de promover transformações na escola.

Discordo. 

Acredito que o uso da informática é importante e imprescindível na educação, mas as saídas das escolas para ambientes culturais, contato com a natureza e ainda aulas atrativas na sala de aula podem promover de forma significativa as transformações nas escolas, apenas devem ir de encontro aos interesses e realidades dos alunos.

Concordo com a argumentação da colega, de que as metodologias precisam vir ao encontro dos interesses e realidades vividas pelos alunos, para que haja transformações significativas na escola. Em relação a Informática, Ciências ou qualquer outro campo do saber, expor os alunos a situações descontextualizadas apenas provoca o desinteresse e consequentemente, abre portas para a indisciplina.

Nada a contra-argumentar.

Continuo com o meu posicionamento inicial agradecento aos colegas novas argumentações que tornaram mais firme a minha argumentação, não deixando de lado que o mundo mudou e que naturalmente precisamos acompanhar as mudanças.

Não sou defensor da afirmação da colega, de que " o uso da informática é importante e imprescindível na educação", posto que não há qualquer garantia de que um aluno que tenha utilizado computadores ao longo de sua formação básica terá, ao final do processo, mais conhecimento do que um segundo aluno que não teve acesso a tal recurso. Basta pensar que nossos detentores de um Nobel foram alfabetizados sem a utilização do computador e cá estão entre os maiores pensadores e pesquisadores. (Paulo)

Não discordo totalmente com o colega, entretanto precisamos entender que o mundo é outro e que não podemos esquecer as necessidades de atualização em uma outra realidade.

3 – Embora o uso de diferentes mídias torne as atividades mais atrativas, usá-las sem uma proposta pedagógica que favoreça a aprendizagem significa apenas “adornar” o que é feito sem elas.

Concordo.

Acredito que qualquer meio que se vai usar para trabalhar em sala de aula ou fora dela necessita estar ancorada em uma proposta pedagógica, principalmente voltada à formação crítica do educando.

Todos os conhecimentos humanos podem ser escolarizados. Existem diferentes propostas pedagógicas. Porém, o ponto que a colega destaca "formação crítica do educando" depende da filosofia que o professor acredita e que tipo de homem deseja formar para a sociedade. Para isso, tanto pode usar as mídias para afirmar uma situação, sob seu ponto de vista, imutável, como pode usá-las como trampolim para questionamentos e transformação dessa, mesma, situação.

De fato, o professor tem um certo"poder" ao colocar o seu ponto de vista. Entretanto acredito ainda na ética do educador de levar o aluno a analisar a sociedade atual e transformá-la através de acordo com o que realmente acredita.

Volto a minha argumentação inicial lembrando que precisamos acreditar na ética dos colegas para que o objetivo da educação se realize. A abertura e a flexibilidade para novas opiniões e a segurança no externar nossos conceitos com evidências sempre serão necessários na nossa prática em sala de aula.

Concordo plenamente. A utilização sem qualquer planejamento de qualquer recurso irá banalizá-lo e, consequentemente, abortar toda a possibilidade de agregar qualidade ao trabalho de construção da aprendizagem. (Paulo)

Nada a contra-argumentar.

4 – Não é necessário que os professores sejam bem preparados para o uso de mídias e tecnologias digitais, basta interagir com os alunos. Eles já sabem como usá-las.

Discordo.

Sei que estamos sempre aprendendo com nossos alunos,entretanto acredito que o professor deve ter certo domínio e esteja preparado com o ambiente e artefatos das tecnologias digitais para que possa fazer as intervenções quando necessário na aprendizagem do aluno.

Ao encontro do que a colega argumenta, vêm os P.As. Nos projetos de aprendizagem, certamente, aprendemos com nossos alunos. Porém, um professor sem prepáro não poderia usar essa metodologia. O mesmo se aplica à tecnologia. Como ensinar meu aluno a construir um gráfico, se eu nem sequer sei construir uma planilha? Como irei instumentá-lo se eu não domino o instrumento?

Nada a contra-argumentar.

Continuo com a minha argumentação inicial sentindo-me reforçada pelas opiniões dos colegas.

 

Como poderíamos pensar em um educador que lança mão de uma tecnologia sem o conhecimento prévio e profundo de sua forma de funcionamento, aplicabilidade e conteúdo? (Paulo)

Nada a contra-argumentar.

5 – O contato da criança (0 a 10 anos) com as tecnologias digitais prejudica o seu desenvolvimento  intelectual.

Discordo.

O uso das tecnologias mesma na tenra idade favorece a criatividade da criança, desperta a sua curiosidade e possibilita que se tornem buscadores de seu conhecimento quando bem orientados.

"Favorece a criatividade da criança, desperta sua curiosidade e possibilita que se torne buscador de seu conhecimento, quando bem orientado." Para isso, voltamos às duas questões anteriores, proposta pedagógica do adulto que acompanha a criança e conhecimentos sobre como a criança aprende, mediada pelo computador, ou seja, preparo pedagógico.

Nada a contra-argumentar.

Continuo com a minha argumentação inicial e acredito realmente que enquanto não me for apresentada evidências contrárias o uso das tecnologias mesmo na tenra idade serão um instrumento importante na aprendizagem e na formação do cidadão.

Sou leigo. Não posso afirmar que prejudica uma criança. Há pesquisadores que dizem ser prejudicial e utilizam argumentos bastante contundentes. 

(Paulo) 

Apesar de respeitar a opinião do colega, por experiências já vividas com crianças de tenra idade continuo achando que um trabalho bem orientado

com as mídias digitais irá favorecer o desenvolvimento da criança e sua inserção na sociedade atual.

6 - Sem o uso da diferentes mídias e das tecnologias digitais estamos alfabetizando para trás.

Concordo.

O futuro não pode deixar de lado acervos culturais da humanidade, mas incluí-los nas novas tecnologias digitais e usá-las para divulgá-los e termos acesso aos mesmos.

Todas as conquistas humanas definem os padrões culturais, de comportamento e de aprendizagem que o tempo e os alunos renovam a cada geração. A escola não pode ficar impermeável às mudanças de comportamento, precisa escolarizar esses padrões culturais e comportamentais usando-os no processo educativo.

Nada a contra-argumentar.

Continuo com a minha opinião inicial apesar de compreender a opinião do colega em função de tudo que se ouve na mídia, entretanto, para que esta jogada de marketing não se concretize precisamos incentivar o uso de softwares livres para atingir os alunos e as famílias.

Concordo com a colega Neusa. Contudo, a afirmação da tese parece jogada de marketing da Microsoft ou da Apple. Penso que o advento de uma tecnologia não invalida tudo o que foi e continua sendo feito sem sua utilização. (Paulo)

Realmente pode até ser uma jogada de marketing, para isso existe as possibilidades do uso de softwares gratuitos e o incentivo para que os alunos os usem passando esta possibilidade para as famílias.

7 - Usar mídias e TD na escola, é modismo, afinal elas já existem há muito tempo e nem por isso precisamos delas na escola.

Discordo.

Encaro o uso das mídias e TD na escola como um caminho sem volta pois tudo no mundo se encaminham para a utilização das mesmas. Faz parte da sociedade globalizada e portanto no mercado de trabalho.

Cuidado com o conceito de globalização! Lembremos que uma outra globalização é possível, como nos diz Milton Santos. A globalização Intelectual e do conhecimento, que une todas as mulheres e homens nas idéias e no uso das tecnologias como ferramentas de superação; não a globalização econômica, mesquinha que desune nas diferenças sociais (SANTOS, 2000). Nesse contexto é que devemos aliar as tecnologias a todos os campos do saber escolarizáveis, como ferramentas capazes de instrumentalizar nossos alunos para transformar a sociedade.

Concordo com o parecer da colega. Torna-se imprescindível analisar o real de conceito de globalização.

Continuo com a minha argumentação inicial, sempre tomando cuidado com os conceitos que se propagam no mundo e enfatizando o desenvolvimento crítico e de análise do educando.

As escolas Waldorf não usam tecnologias e são extremamente bem conceituadas. Particularmente eu as utilizo em minhas aulas, mas sempre sob a égide de um planejamento bastante claro quanto aos objetivos de sua utilização. Não considero um modismo, mas um recurso muito bem-vindo e que, se bem utilizado, auxilia professor e aluno no processo de ensino-aprendizagem. (Paulo) 

Concordo também com o colega mas vejo que ao utilizar as tecnologias estaremos inserindo nossos educandos ao futuro mercado de trabalho e ao mesmo tempo tornando o trabalho mais atraente para as crianças.

8 - O uso das mídias e das Tecnologias Digitais possibilita ao aluno mudança de posicionamento diante da própria aprendizagem.

Concordo.

O aluno se descobre agente do seu aprendizado e integrante de um mundo maior ao que normalmente teria contato.

Acrescentando ao argumento: A mudança acontece porque não há constrangimentos perante o "erro", pois  errar faz parte do processo de ação/reflexão/depuração/ação que o aluno realiza durante a construção do conhecimento (PAPERT, 1994), ou seja, só acontece aprendizagem quando o aluno se descobre sujeito e aprende construindo através da tentativa, do acerto e do erro.

Nada a contra-argumentar

Continuo com a minha posição inicial, ainda respaldada pela opinião dos colegas.

Concordo com a Neusa:  "...descobre agente do seu aprendizado e integrante de um mundo maior ao que normalmente teria contato." O aluno que conhece seu bairro pelos "olhos" do Google Earth fica fascinado e motivado a querer saber mais do que lhe rodeia, do que está logo ali e do que se encontra do outro lado do Planeta. Ele passa a ver muitas coisas a partir de uma nova ótica.

Nada a contra-argumentar.

9 - O uso do computador nos espaços escolares deve estar associado à promoção da autoria e não somente à serviço da repetição das práticas transmissivas ou apoio ao estudo.

Concordo.

O trabalho de pesquisa na internet deve ser principalmente para conhecimento e a partir do conhecimento elaborar os seus próprios textos.

Novamente, cuidado! Muitas autorias são atribuídas erroneamente na Internet. Além de trabalhar a autoria, também devemos trabalhar o senso crítico e as normas de atribuição dessas autorias, antes mesmo de trabalharmos os novos autores. Citar adequadamente as fontes de consulta permite veracidade aos escritos. É um trabalho, antes de tudo, ético. Voltando às questões anteriores, para reforçar o argumento da colega, o trabalho de autoria com o uso da Internet, exige preparo, conhecimento e uma proposta pedagógica comprometida com a cidadania.

Concordo com o colega. Para isto o trabalho de pesquisa não deve exclusivamente se ater à Internet. Não pode ser considerada a única verdade e o trabalho de pesquisa em campo e bibliotecas não pode ser descartado.

 

Continuo com a minha posição inicial, lembrando a necessidade de não nos atermos somente às pesquisas na Internet mais continuarmos com o trabalho de pesquisa de campo e bibliotecas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Acredito que seja possível trabalhar com autoria quando, primeiro, os recursos forem utilizados de acordo com a faixa etária dos alunos e dentro dos seus interesses de aprendizagem. (Paulo)

Nada a contra-argumentar.

 

 

 

 

 
 
 

AVALIAÇÃO 

Descreva como esta atividade lhe ajudou a aprofundar seus conhecimentos sobre a temática em debate. Apresente críticas e sugestões sobre este tipo de atividade.
Considerei esta atividade de grande importância para desenvolver e firmar as minhas idéias a respeito das mídias digitais na educação. Conhcer a opinião de colegas e vê-los analisar e criticar minhas argumentações ajudou-me a refletir sobre o assunto e juntar novas argumentações em minhas idéias. Não tenho críticas e nem sugestões a fazer. Seria um trabalho que voltaria a fazer com prazer.

 

 

 

Comments (1)

Luciana said

at 7:22 pm on Jun 1, 2010

Oi Neusa!
Vamos dar sequência a esta atividade. Depois procure na página da interdisciplina quais trabalhos você deverá revisar e por quais colegas seu trabalho será revisado.
Abraço,
Luciana

You don't have permission to comment on this page.